O meu problema é que eu tenho medo de estragar tudo com a minha sinceridade. Tudo que eu acho que me resta. Tá, o quê? Estragar até que não seria má ideia. Essa lama que está no nossos pés foi o que restou de tudo que passamos. 
Meus sorrisos de lembranças parecem não condizer com a realidade em si, como se tudo não tivesse passado de mera ilusão. Ilusão essa a qual eu fico presa como um ponteiro de um relógio parado, sem aquele impulso para dar o próximo passo e me libertar de tudo. 
> Tudo o que? < 
Já disse que o que me resta na verdade nem vale a pena e eu não sei por que ainda prezo tanto. 
É esse meu sonho insano de um possível ‘se’ que me prende nesse enredo. Esse enredo sofrido e sem sentido. '-' Essa história sem pé nem cabeça criada por mim. ExclusivamenteO meu único problema foi te fazer protagonista, quando na verdade a história era minha. Você era apenas mais um que passa algumas páginas, fica alguns capítulos e sai. 
Assim como outros, não deveria ter marcado tanto. :/

Deixe um comentário